Hodes Weill & Associates e Universidade de Cornell identificam que o objetivo médio da alocação de investidores institucionais globais para o segmento imobiliário excede 10%

NOVA IORQUE 12/10/2017 – – Embora as alocações continuem a aumentar, o desempenho médio dos investimentos dos portfólios imobiliários está desacelerando — As instituições localizadas na região da Ásia-Pacífico obtiveram o maior retorno anual médio em 2016 em 9,3%, seguido pelas Américas em 8,7% –

A classe de ativos imobiliários continua a experimentar um crescimento
nas alocações de capital institucional. Na verdade, 2017 representa um
marco importante neste sentido, de acordo com a Hodes Weill & Associates
e o quinto Monitor anual institucional de alocação de bens imóveis da
Universidade de Cornell. A pesquisa deste ano revelou que, pela primeira
vez, a alocação da meta média dos investidores institucionais globais ao
setor imobiliário ultrapassou o limiar de 10%.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui:
http://www.businesswire.com/news/home/20171012005549/pt/

Para fazer o download do relatório completo que foi publicado hoje,
acesse: www.hodesweill.com/research.

O Monitor de Alocações mostra que a alocação de imóveis de médio prazo
aumentou para 10,1% em 2017, acima de 9,9% em 2016 e 8,9% em 2013 – o
ano em que a pesquisa foi realizada pela primeira vez. Nos últimos cinco
anos, os portfólios institucionais aumentaram sua exposição ao setor
imobiliário de 8,5% para 9,1% investidos. Isso implica que os portfólios
de imóveis aumentaram em aproximadamente US$ 0,5 trilhão no valor total,
através de uma combinação de valorização de capital e novos
investimentos.

Douglas Weill, sócio gerente da Hodes Weill & Associates, disse,
“O setor imobiliário provou com o tempo ser um importante diversificador
de portfólio, produtor de renda estável e hedge contra a inflação, e é
por isso que não é nenhuma surpresa que esta classe estratégica de
ativos excede agora excede uma alocação de alvo de 10% nos portfólios
institucionais globais.”

Apesar do setor imobiliário ter experimentado um constante aumento nas
alocações de metas, o relatório revela que o ritmo das alocações de
metas está sendo moderado. Aproximadamente 22% dos investidores
institucionais pesquisados indicaram que esperam aumentar suas alocações
de metas nos próximos 12 meses, comparado a 30% em 2016. Além disso, o
ritmo de aumento das alocações de metas diminuiu para 20 pontos base em
2017, em comparação a uma média de 30 a 40 pontos base por ano desde
2013.

“Embora exceder o limiar de 10% é um momento seminal, o crescimento
constante das alocações ao setor imobiliário que o setor experimentou ao
longo dos anos parece pronto para desacelerar no curto prazo. Isso se
deve principalmente à diminuição da confiança dos investidores, uma
tendência que vimos crescer cada vez mais forte desde que começamos a
conduzir o estudo. No entanto, antecipamos que as perspectivas em longo
prazo para alocações de capital institucional ao setor imobiliário
permanecerão positivas, dado os muitos benefícios da classe de ativos”, continuou
Weill.

O relatório observa que um grande número de fatores contribuiu para um
significativo declínio na confiança institucional na classe de ativos
ano após ano. O “Índice de Convicção” da pesquisa, que mede a visão dos
investidores institucionais do setor imobiliário como uma oportunidade
de investimento da perspectiva do retorno do risco, diminuiu de 5,4 para
4,9 nos últimos 12 meses. Os investidores institucionais citaram
avaliações infladas, agitação geopolítica, possíveis aumentos das taxas
de juros e volatilidade dos mercados de capitais globais como motivos de
preocupação.

Ao refletir o declínio da confiança dos investidores institucionais, o
relatório revela que os portfólios permanecem aproximadamente 100 pontos
base subinvestidos em relação às alocações de metas. Embora as
estratégias de valor agregado de alto retorno continuem sendo a forte
preferência para instituições, 60% dos entrevistados sinalizou um maior
apetite pela dívida defensiva e estratégias de crédito privados.

No que se refere aos veículos de investimento, os fundos de capital
fechado são os mais preferidos pelas instituições, seguidos de fundos de
capital aberto. Além disso, 31% dos investidores institucionais
relataram que os fatores ambientais, sociais e de governança (ESG, na
sigla em inglês) estão influenciando suas decisões de investimento.

A nível mundial, os portfólios institucionais de imóveis geraram um
retorno anual médio de 8,6% em 2016, contra 11,0% em 2015. No entanto,
os retornos dos investimentos superaram os retornos previstos em 20
pontos base e permanecem bem à frente dos índices globais de retorno
para o setor imobiliário. A rentabilidade média anual de investimento de
cinco anos foi de 10,4%. As instituições da região da Ásia-Pacífico
alcançaram o maior retorno anual médio em 2016 em 9,3%, seguido pelas
Américas em 8,7%.

Dustin Jones, diretor do Programa Baker de Bens Imóveis da
Universidade de Cornell, comentou:
“o Monitor de Alocações fornece
um aspecto sem equivalente sobre como, onde e por que as instituições
estão disponibilizando capital para o setor imobiliário. Ele demonstrou
ser uma ferramenta valiosa para os investidores institucionais no
desenvolvimento de estratégias de alocação de portfólio e benchmarking
de retornos de pares, e para os gestores de investimentos no
planejamento de negócios e desenvolvimento de produtos.”

O Monitor Institucional de Alocações de Bens Imóveis inclui pesquisas
coletada de 244 investidores institucionais em 28 países, com ativos sob
gestão total superiores a US$ 11,5 trilhões e investimentos de portfólio
em imóveis totalizando aproximadamente US$ 1,1 trilhão.

Sobre a Hodes Weill & Associates

Hodes Weill & Associates (“Hodes Weill”) é uma boutique de consultoria
imobiliária com foco no setor de investimentos e gestão de fundos.* A
empresa possui escritórios em Nova Iorque, Hong Kong e Londres. Fundada
em 2009, a Hodes Weill fornece captações institucionais para fundos,
transações, co-investimentos e contas separadas; fusões e aquisições,
serviços de consultoria estratégica e de reestruturação; e análises de
equidade e avaliação. Para obter mais informações, entre em contato com info@hodesweill.com
ou acesse www.hodesweill.com.

*Todos os serviços de assessoria de mercado de capitais e de valores
mobiliários regulados pelos E.U.A. são fornecidos pela Hodes Weill
Securities, LLC, uma corretora de valores com a SEC e membro da FINRA e
SIPC, e internacionalmente, por afiliados não norte americanos da Hodes
Weill. Todos os serviços de consultoria de investimento são fornecidos
pela HW Capital Advisors, LLC, um consultor de investimento registrado
com a SEC. .

Sobre o programa Baker de Bens Imóveis da Cornell

O Programa Baker de Bens Imóveis da Universidade de Cornell é a base do
mestrado em Estudos Profissionais em Bens Imóveis, um currículo
abrangente de nível de pós-graduação que educa a próxima geração de
líderes do setor imobiliário. Cornell também abriga o Cornell Real
Estate Council (Conselho de Bens Imóveis de Cornell), uma extensa rede
de mais de 1.400 líderes do setor imobiliário, bem como a anual Cornell
Real Estate Conference (Conferência de Bens Imóveis de Cornell). Para
obter mais informações, acesse https://baker.realestate.cornell.edu/

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada.
As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se
referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que
tem efeito legal.

Contato:

ICR em nome de Hodes Weill
Jason Chudoba, 646-277-1249
Jason.chudoba@icrinc.com

Fonte: BUSINESS WIRE